sábado, 15 de junho de 2013

Escarpiadas


 
 "Não se sabe muito sobre as origens da escarpiada, mas uma coisa parece certa: não se encontram em mais local nenhum, pelo que será seguro afirmar que se trata de um produto genuinamente de Condeixa." - site da CMCondeixa
 
Sendo o meu avô de Condeixa e tendo ele uma costela de padeiro...não podia deixar de experimentar esta delícia que já como há tanto tempo...e pedi-lhe alguns truques...
 
Aqui...deixo-vos a receita...
O segredo do meu avô?!?!?...esse tenho de o guardar.... :-)
 


Escarpiadas
(coisas cá de casa)

Massa
1 kg de farinha
25 gr de açúcar
25 gr de manteiga
70 gr de fermento de padeiro
1 pitada de sal
água q.b.

Recheio
açúcar amarelo
canela
azeite

Colocar todos os ingredientes da massa no robot de cozinha e misturar.
Adicionar água aos poucos até que a massa forme uma bola.
Colocar num recipiente, cobrir com um pano e deixar levedar - a massa aumenta para quase o dobro do tamanho.

Misturar o açúcar amarelo com a canela e colocar na bancada de trabalho.
Dividir a massa em pequenas bolas - a massa aumenta bastante de volume quando vai ao forno.
Abrir a massa no formato de um pequeno quadrado ou rectangulo e pressionar em cima da mistura do açúcar com a canela.
Colocar um pouco dessa mesma mistura e um pouco de azeite.
Para "fechar" a escarpiada, dobrar as laterais um pouco para dentro e enrolar no sentido contrário.
Colocar num tabuleiro para ir ao forno e repetir o mesmo procedimento com o resto da massa.

Misturar cerca de 1 litro de água com açúcar, despejar por cima das escarpiadas ainda cruas e levar ao forno durante cerca de 15 minutos a 220ºC.

4 comentários:

  1. Sou de Condeixa e neta do padeiro que há mais de cem anos confeccionou as primeiras escarpiadas em Condeixa! Maria Augusto

    ResponderEliminar
  2. Morei alguns anos na zona de Cernache, o padeiro Sr. Raul, infelizmente vítima de um acidente, quando fazia a distribuição do pão, lá trazia as famosas "escarpiadas", coisa que eu nunca tinha ouvido falar, depois de provar, fiquei apaixonado.
    Entretanto mudei de zona e a escarpiada acabou por esquecer, mas hoje mesmo, fiquei a saber que bem perto de mim, há um sítio onde encontrá-las, brevemente irei matar saudades desta iguaria.
    As minhas homenagens a quem inventou esta receita.

    ResponderEliminar
  3. Experimentei este fim semana passado e adorei.Gostaria de tentar fazer,mas gostaria de perguntar se se dobram as quatro pontas do quadrado ou rectângulo ou só duas e depois faz-se tipo rolo?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu dobro as laterais e depois enrolo "tipo rolo"...
      A quantidade de massa a utilizar por escarpiada deverá ser apenas a suficiente que garanta que esta fique "fechada"...ou seja...não deve parecer uma torta... :-)

      Eliminar